Sobre nós

Os movimentos iniciais que dariam na criação do grupo de pesquisa Cinematografia, Expressão e Pensamento aconteceram no primeiro semestre de 2015. Sem que ainda tivesse esse nome, professoras, professores, pesquisadoras e pesquisadores de diferentes instituições de ensino superior brasileiras iniciaram um processo de aproximação em torno de um interesse em comum: a direção de fotografia no audiovisual. Identificando a carência de metodologias e teorias especificamente desenvolvidas para o tratamento das imagens produzidas por diretoras e diretores de fotografia, essas pessoas passaram a somar os esforços que individualmente realizavam por meio de artigos, dissertações e teses. Partiram, dessa maneira, da constatação de que a direção de fotografia exigia a construção de instrumentos analíticos adequados às especificidades desse departamento do audiovisual. Notava-se que já havia no horizonte científico dedicado ao cinema uma necessidade de mobilizar esforços reflexivos que aprofundassem em investigações reveladoras de distintas teorias que emanam das obras e práticas da direção de fotografia.

Para além das questões plásticas, plasmadas na tela, estavam latentes também outras indagações de natureza histórica, sociológica, identitária, além daquelas relacionadas aos distintos saberes e fazeres que constituem trajetórias de diretores e diretoras de fotografia. Outra motivação fundamental emergia pelas vias da necessidade da existência de um espaço em que diretoras e diretores de fotografia pudessem refletir sobre seu próprio ofício com o auxílio de modelos teórico-metodológicos pertinentes.  Por essa razão, é da natureza do grupo reunir também pessoas que atuam como diretoras e diretores de fotografia, bem como professoras e professores da área da imagem técnica.

Mobilizadas/os em torno de um objetivo comum, a articulação do grupo, a princípio, implicou na criação de artifícios de aproximação. Iniciaram-se as ações de organização de coletânea de textos e ocupação de espaços de estudos dedicados ao cinema e ao audiovisual. O mais importante desses ambientes foi o da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual – SOCINE que, por meio dos seus encontros anuais, por certo se tornou o ponto estratégico de convergência dos interesses que resultaram na criação do grupo. Como havia poucos/as pesquisadores/as da área de cinematografia com Doutorado - uma regra estabelecida pela SOCINE que exige a obtenção do título de doutor(a) para as três pessoas que propõem e coordenam os seminários temáticos -, foi necessário maturar a ideia e esperar que um maior número de pessoas obtivesse tal titulação. Enquanto isso acontecia, algumas dessas pessoas interessadas em pesquisa em cinematografia se organizavam em mesas temáticas, intensificando essa aproximação.

A primeira delas aconteceu em 2016, quando três pesquisadoras/es se reuniram na mesa Movimentos de câmera: teorias e análises sobre um recurso fotográfico. No ano seguinte, esse número aumentou consideravelmente. Uma segunda mesa temática reuniu pesquisas dedicadas à cinematografia: Luz, sombra, corpos. Além disso, outros trabalhos foram apresentados em outras sessões do encontro. Nessa ocasião da SOCINE (2017) em João Pessoa, na Paraíba, o grupo de pesquisa se consolidou e ganhou força suficiente para criar o Seminário Temático “Teorias e análises da direção de fotografia”. Em 2018, o seminário reuniria 12 pesquisadores/as, confirmando a pressuposição de que havia uma grande demanda para a criação desse espaço. A partir de 2018, o grupo intensificou o conjunto de ações que resultariam, por exemplo, na organização do livro Cinematografia, Expressão e Pensamento (2019), a primeira coletânea publicada no Brasil com textos resultantes de pesquisas especificamente dedicadas à direção de fotografia.

O histórico do grupo, apesar de recente, aponta para uma mudança no cenário de desenvolvimento de pesquisa em cinematografia no Brasil. A aproximação entre interlocutoras/es dedicadas/os à direção de fotografia tem repercutido em publicações e também em processos de orientação e avaliação de trabalhos de pós-graduação que, desde 2016, vem tendo a participação dessas pessoas que estudam cinematografia, resultando em trabalhos e bancas inegavelmente mais qualificadas pelo fato de serem mais especializadas. Este é, portanto, o principal objetivo do grupo de pesquisa: aproximar pessoas e seus trabalhos sobre cinematografia, dando visibilidade a esforços científicos e criativos em torno da direção de fotografia, contribuindo para a consolidação da direção de fotografia como campo de estudo.

Integrantes

alex.jpg

ALEX GOMES

Alexandre Gomes do Nascimento é diretor de fotografia, videomaker e pesquisador. Possui graduação em Comunicação Social, com habilitação em Rádio e TV, pela Unesp. Em 2019, obteve o título de mestre em Meios e Processos Audiovisuais, pela ECA-USP, na linha de pesquisa Poéticas e Técnicas. Há 15 anos, atua no setor audiovisual, desenvolvendo trabalhos para produtoras de cinema e empresas como Netflix, TV Globo/G1, ESPN e TV Cultura. É professor do curso de Direção de Fotografia do Instituto de Cinema, em São Paulo.

ALINE.jpg

ALINE DE CALDAS COSTA

Professora de Teorias da Comunicação, Linguagem audiovisual e Fotografia da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Centro Multidisciplinar Santa Maria da Vitória. Desenvolve pesquisa sobre cinema e pintura com ênfase sobre composição da imagem, direção de fotografia e de arte. Doutora em Memória: Linguagem e Sociedade pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, mestre em Cultura & Turismo e graduada em Comunicação Social com habilitação em Rádio e TV pela Universidade Estadual de Santa Cruz.

Ana Carolina Roure.png

ANA CAROLINA ROURE

Ana Carolina Roure Malta de Sá é doutora em Comunicação Social, na linha Imagem, Estética e Cultura Contemporânea, pela UnB. Possui mestrado em Comunicação Social (UnB), especialização em Filosofia da Arte (IFITEG) e graduação em Letras (PUC-GO). Atualmente é integrante do projeto de pesquisa Narrativas e Experimentações visuais, coordenado pela profa. doutora Susana Dobal, no PPG de Comunicação Social, na UnB. É também bolsista da CAPES.

Foto(1).jpg

ANDRÉ BESEN

André Fonseca Besen é formado em Comunicação Social, com especialização em Cinema, pela FAAP-SP e é mestre em Ciências da Comunicação, com pesquisa em Cinema e História da arte, pela ECA-USP. É professor e pesquisador de direção de fotografia e atua como diretor de fotografia em cinema, ficção e documentário, televisão e publicidade.

DARAKA.jpg

ANDRÉA C. SCANSANI (DARACA)

Diretora de fotografia e professora do curso de Cinema na UFSC. Doutora em Meios e Processos Audiovisuais na USP com sanduíche na Sorbonne Nouvelle; mestre em Multimeios/Cinema na UNICAMP; especializada em Fotografia Cinematográfica na Academia de Cinema e Drama de Budapeste; graduada em Cinema com especialização em Fotografia Cinematográfica na ECA/USP. Pesquisa direção de fotografia, materialidade da imagem, corpo e câmera e processos fotográficos artesanais.

Antoine d Artemare 1.JPG

ANTOINE D'ARTEMARE

Atua como diretor de fotografia e colorista na área de audiovisual. É formado em cinema pela escola La Fémis (Paris, 2010) e possui mestrado em Comunicação e Cultura pela UFRJ (Rio de Janeiro, 2020). É doutorando do programa de Pós-graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense (UFF) em que desenvolve pesquisa sobre as (bio)políticas da luz. Leciona como professor de direção de fotografia da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-RJ).

Bertrand Lira Foto Rodrigo Barbosa (2).j

BERTRAND LIRA

Professor Doutor voluntário do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGC) da UFPB. Coordenador do Grupo de Estudos em Cinema e audiovisual (Gecine).  Realizador, dirigiu diversos documentários de curta, média e longa-metragem; Autor dos livros “Luz e Sombra: significações imaginárias na fotografia do cinema expressionista alemão” (2013) e “Cinema Noir: a sombra como experiência estética e narrativa” (2015).

Bruno_Polidoro_filmando_Os_Dragões.jpe

BRUNO POLIDORO

É graduado em Cinema e mestre em Comunicação pela Unisinos, onde é professor desde 2006. Atua há 15 anos como diretor de fotografia em filmes, videoartes e séries. Fotografou 20 longas, entre eles “Legalidade”, “Bio” e “A Colmeia”. Recebeu prêmios de melhor fotografia em festivais, com destaque para os 6 recebidos no Festival de Gramado. Além do trabalho como fotógrafo, dirigiu curtas e o longa “Sobre sete ondas verdes espumantes”, seleção oficial do Festival É Tudo Verdade 2013.

Cyntia Calhado_2020.jpeg

CYNTIA GOMES CALHADO

Jornalista, crítica, curadora, pesquisadora e professora universitária dos cursos de Comunicação e Audiovisual. É doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) – onde desenvolveu uma pesquisa sobre intensidades da imagem em movimento, narrativa audiovisual e experiência estética no cinema contemporâneo –, e mestre pela mesma instituição. É uma das autoras do livro Extremidades: Experimentos Críticos (Estação das Letras e Cores, 2017), organizado por Christine Mello, e também da coletânea Cinematografia, Expressão e Pensamento (Appris, 2019), organizada por Marina Cavalcanti Tedesco e Rogério Luiz Oliveira. Organizadora, junto com Aline de Caldas Costa, e uma das autoras da coletânea Cinematografia, Expressão e Pensamento - Volume 2 (Appris, 2021).

Foto Fe.jpg

FELIPE BOMFIM

Felipe Bomfim é fotógrafo e pesquisador. Doutor pelo do Programa de Pós-Graduação em Multimeios (UNICAMP). Graduou-se em Cinema pela Universidade de Bolonha (Itália) e estagiou na Cinemateca da Áustria. Fotografou filmes premiados, como o documentário "A mulher da casa do arco-íris" (2017), de Gilberto Alexandre Sobrinho, e o projeto experimental "Ressuscita-me – A luta vive" (2017), de Renato Coelho e Caio Lazaneo.

11212574_989615581048995_238119653365010

FRAN REBELATTO

Professora de Fotografia no Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Cinema e Audiovisual da Universidade Federal Fluminense (UFF) na linha de pesquisa Narrativas e Estéticas. É realizadora e atua como diretora, roteirista e fotógrafa. Dirigiu e roteirizou os filmes "Pasajeras" (em finalização); "Fronteira-mulher: um ensaio" (2018); "3 retratos" (2016); "Do amor: pequenas coisas" (2015), entre outros.

foto 25.04.2121.jpeg

JULIANNA TOREZANI

Mãe de Lis. Professora de Fotografia e Iluminação do Curso de Comunicação Social (Rádio e TV) da Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC). Coordenadora do Projeto de Pesquisa Produção Jornalística em Redes Sociais Digitais da UESC. Professora de Metodologia Científica do Curso de Psicologia da Faculdade de Ilhéus. Coordenadora do Projeto de Pesquisa O discurso midiático sobre a COVID-19 e o sofrimento psicológico da Faculdade de Ilhéus. Professora do MBA Cultura visual: fotografia e arte latino-americana da Universidade Católica de Pernambuco. Doutora em Comunicação pela Universidade Federal de Pernambuco. Mestra em Cultura e Turismo e Bacharela em Comunicação Social (Rádio e TV) pela UESC. Sócia da Intercom - Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação e da ABCiber - Associação Brasileira de Pesquisadores em Cibercultura. Pesquisadora de fotografia, direção de fotografia e produção jornalística nas redes sociais digitais.

Nina.jpg

MARINA CAVALCANTI TEDESCO (NINA TEDESCO)

Doutora em Comunicação, diretora de fotografia e docente do curso de Cinema e Audiovisual e do PPGCine da UFF. Autora dos artigos “Desnaturalizar a técnica: contribuições feministas para pensar a direção de fotografia cinematográfica” e “Mulheres atrás das câmeras: a presença feminina nas equipes de fotografia brasileiras”, entre outros. Co-organizou o livro “Cinematografia, expressão e pensamento”. Seu último filme, o longa "À luz delas", fala sobre diretoras de fotografia no Brasil.

IMG-20181113-WA0019.jpg

MATHEUS ANDRADE

Matheus Andrade é professor de Direção de Fotografia do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal da Paraíba - UFPB; doutorando do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UFPB, desenvolve pesquisas sobre Cinematografia, Documentário, informação e memória; realizador audiovisual e autor dos livros: Rec: uma iniciação à filmagem (Editora Ideia, 2013) e O sertão é coisa de cinema (Marca de Fantasia, 2008).

MIGUEM.png

MIGUEL FREIRE

Autor dos livros "Fotografia Getuliana" (2016) e "O Criador de Imagens" (2018).  Diretor e diretor de Fotografia de diversos filmes de longa e curta metragem, com destaque para os longas "Tigipió" e  "O Calor da Pele" e os curtas "O Último Dia de Sol" e "O Criador de Imagens". Professor do IACS/UFF. Mestre e doutor em Comunicação pelo PPGCOM/ UFF, onde desenvolveu pesquisa na área de imagem foto-cinematográfica.

IMG_20200618_150606-01_edited.jpg

PAULO SOUZA

Paulo Souza dos Santos Júnior é doutorando em Comunicação no PPGCOM-UFPE. Professor da Universidade Católica de Pernambuco - UNICAP. Mestre em Comunicação pelo PPGCOM-UFPE (2018). Especialista em Fotografia e Audiovisual pela UNICAP (2017). Graduado em Fotografia também pela UNICAP (2015). Pesquisador, fotógrafo documental e realizador audiovisual de Recife.

Foto_Rogério_Luiz_Oliveira_(1).jpeg

ROGÉRIO LUIZ

Pesquisador com estudos dedicados à imagem técnica. Realizador e professor do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Autor do livro "Fotografia e Memória: a criação de passados" (2014) e um dos organizadores da coletânea "Cinematografia, Expressão e Pensamento" (2019). Sócio da Associação Brasileira de Cinematografia – ABC.

tais_divulgação1.jpg

TAÍS NARDI

Taís Nardi é Mestre em Audiovisual pelo Programa Meios e Processos Audiovisuais da ECA-USP (2017) e cursa seu doutorado no mesmo programa desde 2018. Possui graduação no Curso Superior do Audiovisual também pela USP (2007). Trabalha desde 2002 como diretora de fotografia e desde 2015 dirige a produtora Cigano Filmes. É coordenadora dos cursos da área de fotografia na Bucareste Ateliê de Cinema (SP).