Sobre nós

Os movimentos iniciais que dariam na criação do grupo de pesquisa Cinematografia, Expressão e Pensamento aconteceram no primeiro semestre de 2015. Sem que ainda tivesse esse nome, professoras, professores, pesquisadoras e pesquisadores de diferentes instituições de ensino superior brasileiras iniciaram um processo de aproximação em torno de um interesse em comum: a direção de fotografia no audiovisual. Identificando a carência de metodologias e teorias especificamente desenvolvidas para o tratamento das imagens produzidas por diretoras e diretores de fotografia, essas pessoas passaram a somar os esforços que individualmente realizavam por meio de artigos, dissertações e teses. Partiram, dessa maneira, da constatação de que a direção de fotografia exigia a construção de instrumentos analíticos adequados às especificidades desse departamento do audiovisual. Notava-se que já havia no horizonte científico dedicado ao cinema uma necessidade de mobilizar esforços reflexivos que aprofundassem em investigações reveladoras de distintas teorias que emanam das obras e práticas da direção de fotografia.

Para além das questões plásticas, plasmadas na tela, estavam latentes também outras indagações de natureza histórica, sociológica, identitária, além daquelas relacionadas aos distintos saberes e fazeres que constituem trajetórias de diretores e diretoras de fotografia. Outra motivação fundamental emergia pelas vias da necessidade da existência de um espaço em que diretoras e diretores de fotografia pudessem refletir sobre seu próprio ofício com o auxílio de modelos teórico-metodológicos pertinentes.  Por essa razão, é da natureza do grupo reunir também pessoas que atuam como diretoras e diretores de fotografia, bem como professoras e professores da área da imagem técnica.

Mobilizadas/os em torno de um objetivo comum, a articulação do grupo, a princípio, implicou na criação de artifícios de aproximação. Iniciaram-se as ações de organização de coletânea de textos e ocupação de espaços de estudos dedicados ao cinema e ao audiovisual. O mais importante desses ambientes foi o da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual – SOCINE que, por meio dos seus encontros anuais, por certo se tornou o ponto estratégico de convergência dos interesses que resultaram na criação do grupo. Como havia poucos/as pesquisadores/as da área de cinematografia com Doutorado - uma regra estabelecida pela SOCINE que exige a obtenção do título de doutor(a) para as três pessoas que propõem e coordenam os seminários temáticos -, foi necessário maturar a ideia e esperar que um maior número de pessoas obtivesse tal titulação. Enquanto isso acontecia, algumas dessas pessoas interessadas em pesquisa em cinematografia se organizavam em mesas temáticas, intensificando essa aproximação.

A primeira delas aconteceu em 2016, quando três pesquisadoras/es se reuniram na mesa Movimentos de câmera: teorias e análises sobre um recurso fotográfico. No ano seguinte, esse número aumentou consideravelmente. Uma segunda mesa temática reuniu pesquisas dedicadas à cinematografia: Luz, sombra, corpos. Além disso, outros trabalhos foram apresentados em outras sessões do encontro. Nessa ocasião da SOCINE (2017) em João Pessoa, na Paraíba, o grupo de pesquisa se consolidou e ganhou força suficiente para criar o Seminário Temático “Teorias e análises da direção de fotografia”. Em 2018, o seminário reuniria 12 pesquisadores/as, confirmando a pressuposição de que havia uma grande demanda para a criação desse espaço. A partir de 2018, o grupo intensificou o conjunto de ações que resultariam, por exemplo, na organização do livro Cinematografia, Expressão e Pensamento (2019), a primeira coletânea publicada no Brasil com textos resultantes de pesquisas especificamente dedicadas à direção de fotografia.

O histórico do grupo, apesar de recente, aponta para uma mudança no cenário de desenvolvimento de pesquisa em cinematografia no Brasil. A aproximação entre interlocutoras/es dedicadas/os à direção de fotografia tem repercutido em publicações e também em processos de orientação e avaliação de trabalhos de pós-graduação que, desde 2016, vem tendo a participação dessas pessoas que estudam cinematografia, resultando em trabalhos e bancas inegavelmente mais qualificadas pelo fato de serem mais especializadas. Este é, portanto, o principal objetivo do grupo de pesquisa: aproximar pessoas e seus trabalhos sobre cinematografia, dando visibilidade a esforços científicos e criativos em torno da direção de fotografia, contribuindo para a consolidação da direção de fotografia como campo de estudo.

Integrantes

alex.jpg

ALEX GOMES

Alexandre Gomes do Nascimento é diretor de fotografia, videomaker e pesquisador. Possui graduação em Comunicação Social, com habilitação em Rádio e TV, pela Unesp. Em 2019, obteve o título de mestre em Meios e Processos Audiovisuais, pela ECA-USP, na linha de pesquisa Poéticas e Técnicas. Há 15 anos, atua no setor audiovisual, desenvolvendo trabalhos para produtoras de cinema e empresas como Netflix, TV Globo/G1, ESPN e TV Cultura. É professor do curso de Direção de Fotografia do Instituto de Cinema, em São Paulo.

ALINE.jpg

ALINE DE CALDAS COSTA

Professora de Teorias da Comunicação, Linguagem audiovisual e Fotografia da Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Centro Multidisciplinar Santa Maria da Vitória. Desenvolve pesquisa sobre cinema e pintura com ênfase sobre composição da imagem, direção de fotografia e de arte. Doutora em Memória: Linguagem e Sociedade pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, mestre em Cultura & Turismo e graduada em Comunicação Social com habilitação em Rádio e TV pela Universidade Estadual de Santa Cruz.

Ana Carolina Roure.png

ANA CAROLINA ROURE

Ana Carolina Roure Malta de Sá é doutora em Comunicação Social, na linha Imagem, Estética e Cultura Contemporânea, pela UnB. Possui mestrado em Comunicação Social (UnB), especialização em Filosofia da Arte (IFITEG) e graduação em Letras (PUC-GO). Atualmente é integrante do projeto de pesquisa Narrativas e Experimentações visuais, coordenado pela profa. doutora Susana Dobal, no PPG de Comunicação Social, na UnB. É também bolsista da CAPES.

Foto(1).jpg

ANDRÉ BESEN

André Fonseca Besen é formado em Comunicação Social, com especialização em Cinema, pela FAAP-SP e é mestre em Ciências da Comunicação, com pesquisa em Cinema e História da arte, pela ECA-USP. É professor e pesquisador de direção de fotografia e atua como diretor de fotografia em cinema, ficção e documentário, televisão e publicidade.

DARAKA.jpg

ANDRÉA C. SCANSANI (DARACA)

Diretora de fotografia e professora do curso de Cinema na UFSC. Doutora em Meios e Processos Audiovisuais na USP com sanduíche na Sorbonne Nouvelle; mestre em Multimeios/Cinema na UNICAMP; especializada em Fotografia Cinematográfica na Academia de Cinema e Drama de Budapeste; graduada em Cinema com especialização em Fotografia Cinematográfica na ECA/USP. Pesquisa direção de fotografia, materialidade da imagem, corpo e câmera e processos fotográficos artesanais.

Bertrand Lira Foto Rodrigo Barbosa (2).j

BERTRAND LIRA

Professor Doutor voluntário do Programa de Pós-Graduação em Comunicação (PPGC) da UFPB. Coordenador do Grupo de Estudos em Cinema e audiovisual (Gecine).  Realizador, dirigiu diversos documentários de curta, média e longa-metragem; Autor dos livros “Luz e Sombra: significações imaginárias na fotografia do cinema expressionista alemão” (2013) e “Cinema Noir: a sombra como experiência estética e narrativa” (2015).

Bruno_Polidoro_filmando_Os_Dragões.jpe

BRUNO POLIDORO

É graduado em Cinema e mestre em Comunicação pela Unisinos, onde é professor desde 2006. Atua há 15 anos como diretor de fotografia em filmes, videoartes e séries. Fotografou 20 longas, entre eles “Legalidade”, “Bio” e “A Colmeia”. Recebeu prêmios de melhor fotografia em festivais, com destaque para os 6 recebidos no Festival de Gramado. Além do trabalho como fotógrafo, dirigiu curtas e o longa “Sobre sete ondas verdes espumantes”, seleção oficial do Festival É Tudo Verdade 2013.

Cyntia Calhado_2020.jpeg

CYNTIA GOMES CALHADO

Jornalista, crítica, curadora, pesquisadora e professora universitária dos cursos de Comunicação e Audiovisual. É doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP) – onde desenvolveu uma pesquisa sobre intensidades da imagem em movimento, narrativa audiovisual e experiência estética no cinema contemporâneo –, e mestre pela mesma instituição. É uma das autoras do livro Extremidades: Experimentos Críticos (Estação das Letras e Cores, 2017), organizado por Christine Mello, e também da coletânea Cinematografia, Expressão e Pensamento (Appris, 2019), organizada por Marina Cavalcanti Tedesco e Rogério Luiz Oliveira. Organizadora, junto com Aline de Caldas Costa, e uma das autoras da coletânea Cinematografia, Expressão e Pensamento - Volume 2 (Appris, 2021).

Foto Fe.jpg

FELIPE BOMFIM

Felipe Bomfim é fotógrafo e pesquisador. Doutor pelo do Programa de Pós-Graduação em Multimeios (UNICAMP). Graduou-se em Cinema pela Universidade de Bolonha (Itália) e estagiou na Cinemateca da Áustria. Fotografou filmes premiados, como o documentário "A mulher da casa do arco-íris" (2017), de Gilberto Alexandre Sobrinho, e o projeto experimental "Ressuscita-me – A luta vive" (2017), de Renato Coelho e Caio Lazaneo.

11212574_989615581048995_238119653365010

FRAN REBELATTO

Professora de Fotografia no Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA). Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Cinema e Audiovisual da Universidade Federal Fluminense (UFF) na linha de pesquisa Narrativas e Estéticas. É realizadora e atua como diretora, roteirista e fotógrafa. Dirigiu e roteirizou os filmes "Pasajeras" (em finalização); "Fronteira-mulher: um ensaio" (2018); "3 retratos" (2016); "Do amor: pequenas coisas" (2015), entre outros.

Nina.jpg

MARINA CAVALCANTI TEDESCO (NINA TEDESCO)

Doutora em Comunicação, diretora de fotografia e docente do curso de Cinema e Audiovisual e do PPGCine da UFF. Autora dos artigos “Desnaturalizar a técnica: contribuições feministas para pensar a direção de fotografia cinematográfica” e “Mulheres atrás das câmeras: a presença feminina nas equipes de fotografia brasileiras”, entre outros. Co-organizou o livro “Cinematografia, expressão e pensamento”. Seu último filme, o longa "À luz delas", fala sobre diretoras de fotografia no Brasil.

IMG-20181113-WA0019.jpg

MATHEUS ANDRADE

Matheus Andrade é professor de Direção de Fotografia do curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Federal da Paraíba - UFPB; doutorando do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da UFPB, desenvolve pesquisas sobre Cinematografia, Documentário, informação e memória; realizador audiovisual e autor dos livros: Rec: uma iniciação à filmagem (Editora Ideia, 2013) e O sertão é coisa de cinema (Marca de Fantasia, 2008).

MIGUEM.png

MIGUEL FREIRE

Autor dos livros "Fotografia Getuliana" (2016) e "O Criador de Imagens" (2018).  Diretor e diretor de Fotografia de diversos filmes de longa e curta metragem, com destaque para os longas "Tigipió" e  "O Calor da Pele" e os curtas "O Último Dia de Sol" e "O Criador de Imagens". Professor do IACS/UFF. Mestre e doutor em Comunicação pelo PPGCOM/ UFF, onde desenvolveu pesquisa na área de imagem foto-cinematográfica.

IMG_20200618_150606-01_edited.jpg

PAULO SOUZA

Paulo Souza dos Santos Júnior é doutorando em Comunicação no PPGCOM-UFPE. Professor da Universidade Católica de Pernambuco - UNICAP. Mestre em Comunicação pelo PPGCOM-UFPE (2018). Especialista em Fotografia e Audiovisual pela UNICAP (2017). Graduado em Fotografia também pela UNICAP (2015). Pesquisador, fotógrafo documental e realizador audiovisual de Recife.

Foto_Rogério_Luiz_Oliveira_(1).jpeg

ROGÉRIO LUIZ

Pesquisador com estudos dedicados à imagem técnica. Realizador e professor do Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB. Autor do livro "Fotografia e Memória: a criação de passados" (2014) e um dos organizadores da coletânea "Cinematografia, Expressão e Pensamento" (2019). Sócio da Associação Brasileira de Cinematografia – ABC.

tais_divulgação1.jpg

TAÍS NARDI

Taís Nardi é Mestre em Audiovisual pelo Programa Meios e Processos Audiovisuais da ECA-USP (2017) e cursa seu doutorado no mesmo programa desde 2018. Possui graduação no Curso Superior do Audiovisual também pela USP (2007). Trabalha desde 2002 como diretora de fotografia e desde 2015 dirige a produtora Cigano Filmes. É coordenadora dos cursos da área de fotografia na Bucareste Ateliê de Cinema (SP).